Seven Pounds – 2008 (Sete Vidas)


Drama Standard Com Will Smith Que Deixa a Desejar…

seven_pounds Direção: Gabriele Muccino
Com: Will Smith, Rosario Dawson, Woody Harrelson, Madison Pettis, Barry Pepper, Sarah Jane Morris.
Local de Filmagem: Los Angeles, California, USA; Malibu, California, USA; Pasadena, California, USA; San Marino, California, USA e Travel Inn – 7254 Foothill Blvd., Tujunga, Los Angeles, California, USA
Produção: Todd Black, Jason Blumenthal, James Lassiter, Will Smith, Steve Tisch
Roteiro: Grant Nieporte
Fotografia: Philippe Le Sourd
Trilha Sonora: Angelo Milli
Distribuidora: Sony Pictures
Estúdio: Columbia Pictures, Escape Artists, Overbrook Entertainment, Relativity Media

Do mesmo diretor de The Pursuit of Happyness (2006), Gabriele Muccino, italiano, repete a parceria com Will Smith  [Hancock (2008), I Am Legend (2007) e Men in Black (1997)] neste drama sobre a consciência moral de um homem com relação a responsabilidade do mesmo, sobre um grupo de pessoas.

Apesar de ser uma história original e ao mesmo tempo intrigante, se não até fascinante, o roteiro nos deixa incrivelmente perdidos entre dois ângulos da história: o drama de consciência moral e espiritual do personagem central e a história de amor que envolve o protagonista e uma mulher. 

É entre essas duas histórias que o diretor tentou conduzir a narrativa central, que até os últimos 25 minutos do filme nos deixa entediados e ao mesmo tempo curiosos de como será o desfecho da mesma.

No entanto nossa curiosidade só é alimentada pelo fato de estarmos assistindo a um filme do astro Will Smith, pois caso contrário, certamente algumas pessoas teriam desistido de assistir e esperariam o lançamento em DVD, o que não é uma má idéia, pois o filme deixa sim a desejar, mesmo com todo o final dramático, que nos envolve, única e exclusivamente, por causa do teor moral e pelo jogo de imagens e trilha sonora combinados.

seven pounds 2008 00

A história é sobre um homem chamado Ben, interpretado por Will Smith, que está em um estado avançado de depressão e que se responsabiliza por uma tragédia ocorrida no passado.

Para compensar as conseqüências dessa tragédia, Ben planeja beneficiar um grupo de pessoas que ele julga precisar de ajuda, seja ela financeira, emocional ou médica, para assim, tentar apagar o que fez no passado. Durante o processo ele conhece Emily, interpretada por Rosario Dawson [Sin City 2 (2010), Eagle Eye (2008) e Death Proof (2007)], uma mulher atraente, extremamente carente de afeto e com o nome na lista para um transplante de coração, o problema é que Ben se apaixona por ela, fazendo com que seus planos sejam mais dolorosos emocionalmente do que realmente já são.

Os motivos desse plano são, inicialmente ocultados dos espectadores, no entanto aos poucos nos é revelado através de imagens das lembranças do protagonista, parte do porque dele estar extremamente angustiado e agindo com atitudes que aparentemente são inconseqüentes visto o que ele planeja fazer.

A consciência moral do personagem, com relação a tragédia é tão profunda e espiritualmente assustadora que suas atitudes são psicologicamente perturbadoras e que o levam a busca implacável da compensação, ou seja, fazer o bem para compensar o mal causado por ele.

A trama segue mais o romance entre Ben e Emily do que o drama moral e psicológico das atitudes de Ben, o que acaba em frustração, visto que estamos mais envolvidos com ele e a tragédia convertida em sua busca pela absolvição do que com a relação amorosa dele com Emily, cuja história é superficial e com poucos eventos que a sustentem a ponto de prender nossa atenção.

No entanto o romance nos cativa pela simplicidade e por sabermos que Emily está à beira da morte, porém o conhecimento de que Ben se envolve ao ponto de estar disposto a fazer tudo pela moça é descoberto tardiamente, sendo assim, o público não se conecta com o casal e nem com seu plano de redenção que nos emociona por seu caráter moral mas não nos satisfaz depois de ter passado duas horas assistindo um monte de mini dramas entediantes para então revelar tudo nos últimos 25 minutos de uma só vez, através de um flash de imagens e trilha sonora e som meia dúzia de diálogos que não sustentam e tão pouco complementam os dois ângulos da história.

Em fim, apesar do potencial dramático da historia a ser explorado, é uma pena que “Sete Vidas” fique apenas no nível mediano entre os dramas deste ano. Um dos maiores desafios de Hollywood tem sido escolher como contar uma história para tentar conquistar o público e a crítica. Sustentado através da linha básica da narrativa dramática, o filme tenta criar um final “não esperado” criando assim  um falso clichê e apresentando uma única forma de dar fim ao romance.

Mesmo assim, vale a pena assistir, pelos 25 últimos minutos da história, no mais, o filme  não passa de um dramalhão standard que foi bem dirigido, mal executado e extremamente mal escrito.

Com estréia fantásticas nas salas de cinemas, não percam tempo assistindo esse longa metragem, que pode ser tranquilamente assistir em DVD ou em torrent com qualidade já de DVD.

Feliz Ano Novo!

bom filme!

roberta vieira

www.sevenpounds.com

seven pounds 2008

Confira o trailer abaixo.

Seven Pounds – 2008 (Sete Vidas)

  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: