Archive

Archive for the ‘Musical’ Category

La Môme / La Vie en Rose – 2007 (Piaf – Um Hino ao Amor)

La vie_en_rose A estréia desse longa metragem foi exatamente há um ano atrás, 12 de Outubro de 2007. Antes de falarmos desse longa fantástico, deixem-me contar umas poucas curiosidades sobre essa magnífica cantora francesa, Edith Piaf, a interprete da famosa música romantica, “La Vie en Rose”, que é o título original desse filme que ganhou três indicações ao OSCAR 2008 e levou a estatueta pela categoria de Melhor Atriz.

Em 1935, Édith Giovanna Gassion conheceu Louis Leplée, dono do cabaré Le Gerny’s, situado na avenida Champs Élysées, em Paris. Foi ele quem a iniciou na vida artística e a batizou de “la Môme Piaf”, uma expressão francesa que significa “pequeno pardal” ou “pardalzinho”, pois ela tinha uma estatura baixa (1,42). Daí saiu o título alternativo do longa, “La Mome”.

edith_piaf 

O longa retrata a vida de Edith Piaf com excelencia em todos os minutos dele. Marion Cotillard é a estrela que interpreta Piaf. Cotillard também atuo em outros longas como A Good Year (2006), Taxi 3 (2003) e Nine (2009) (em produção). A atriz francesa foi indicada ao OSCAR 2008 pela categoria de “Melhor Atriz” e levou o prêmio. Para quem já assistiu ao longa, sabe, sem sombra de dúvidas que ela é definitivamente Edith Piaf, ou melhor foi por duas horas de filme. Sua interpretação é impecável, é quase como assistir a própria Piaf, lógico que temos um figurino e maquiagem que transformam a atriz em Edith Piaf, mas não foi uma grande transformação estética, pois a atriz tem os trejeitos da cantora, o que facilitou à mesma que se fundisse a imagem de Edith.

cotillard.vie.rose03

Quem vive o Louis Leplée é o renomado ator Gérard Depardieu que também atuou em Astérix aux jeux olympiques (2008), The Man in the Iron Mask (1998/I) e Cyrano de Bergerac (1990).

O longa vai de Piaf pequena a Paif em sua morte, entre vai e vens de épocas, podemos ver os impactos de sua infância em sua velhice. De saúde frágil, ela vive com a mãe, uma cantora de rua, que deixa a deixa em casa sem comer para a morte. Um dia seu pai volta de suas viagens e encontra a menina quase morta, ele a leva para ser criada pela avó em um bordel. Quando já estava se acostumando com a vida que levava, foi arrastada pelo pai, um contorcionista, para segui-lo em exibições de circo.

cotillard.vie.rose

Não demorou muito para que a jovem descobrisse seu talento na música. Depois de crescida e independente de seu pai, Edith segue inconscientemente os passos da mãe, cantando nas ruas em troca de moedas. Porém, sua experiência adquirida nas apresentações com seu pai e nos cabarés que freqüentou permite que sua voz chame a atenção de todos os que a escutam.

cotillard.vie.rose04

Não demora a ela começar a consolidar sua carreira, mas não de uma forma fácil. Sempre enfrentando problemas com seus vícios e dramas pessoais, ela não consegue se realizar a não ser na música. Isto não impede que Edith Piaf se torne uma das maiores cantoras de todos os tempos. “Piaf – Um Hino ao Amor” conta a história real da intérprete de canções como La Vie en Rose e Non, Je Ne Regrette Rien.

cotillard.vie.rose02

A idéia do filme nasceu quando o diretor Oliver Dahan viu uma foto da juventude de Edith e percebeu que quase ninguém sabia nada sobre essa época de sua vida. Devido à inúmeros problemas como o envolvimento com cafetões ou uma suspeita de assassinato, ela raramente falava sobre antes de se tornar a famosa Edith Piaf.

O filme é sensacional, é dinâmico, repleto de músicas de Piaf, as mais belas e com imagens e Paris, uma Paris antiga. Vale também pela interpretação de Marion que é excelente. São duas horas de filme, sendo assim é preciso gostar desse tipo de música, pois o filme é muito musical, quero dizer que ela canta boa parte de algumas músicas em 80% das cenas, não é como os filmes musicais que se interpreta cantando, não. Esse longa é a biografia de Piaf, e por tanto há sim muita música nele.

Mesmo assim não é cansativo, ao menos para quem gosta, para os novatos, tentem assistir com a mente aberta, as músicas são bonitas e no mínimo interessastes, uma vez que as letras são traduzidas durante o filme.

Edith Piaf tem cerca de 34 álbuns publicados, sendo 18 com um CD, 2 com dois CDs e 2 com quatro volumes e 1 com nove volumes. Cada um com em média 20 músicas.

La Vie en Rose

R. S. Louiguy

Des yeux qui font baiser les miens,
Un rire qui se perd sur sa bouche.
Voila le portrait sans retouche,
De l’homme auquel, j’appartiens,

Quand il me prend dans ses bras
Il me parle tout bas,
Je vois la vie en rose.

Il me dit des mots d’amour,
Des mots de tous les jours,
Et ça me fait quelque chose.

Il est entré dans mon coeur
Une part de bonheur
Dont je connais la cause.

C’est lui pour moi,
Moi pour lui dans la vie,
Il me l’a dit, l’a juré pour la vie.

Et, dès que je l’apercois
Alors je sens en moi
Mon coeur qui bat,

Des nuits d’amour à ne plus en finir
Un grand bonheur qui prend sa place
Des enuis des chagrins, des phases
Heureux, heureux a en mourir.

Quand il me prend dans ses bras,
Il me parle tout bas,
Je vois la vie en rose.

Il me dit des mots d’amour,
Des mots de tous les jours,
Et ça me fait quelque chose.

Il est entré dans mon Coeur,
Une part de bonheur,
Dont je connais la cause.

C’est toi pour moi,
Moi pour toi dans la vie,
Il me l’a dit, m’a juré pour la vie.

Et, dès que je l’apercois
Alors je sens en moi
Mon coeur qui bat.

Tradução

Olhos que fazem baixar os meus
Um riso que se perde em sua boca
Aí está o retrato sem retoque
Do homem a quem eu pertenço

Quando ele me toma em seus braços
Ele me fala baixinho
Vejo a vida cor-de-rosa

Ele me diz palavras de amor
Palavras de todos os dias
E isso me toca

Entrou no meu coração
Um pouco  de felicidade
Da qual eu conheço a causa

É ele para mim, eu para ele
Na vida, ele me disse
Jurou pela vida

E desde que eu o percebo
Então sinto em mim
Meu coração que bate

Noites de amor a não mais acabar
Uma grande felicidade que toma seu lugar
Os aborrecimentos e as tristezas se apagam
Feliz, feliz até morrer

Quando ele me toma em seus braços
Ele me fala baixinho
Eu vejo a vida em rosa

Ele me diz palavras de amor
Palavras de todos os dias
E isso me toca

Entrou no meu coração
Um pouco  de felicidade
Da qual eu conheço a causa

É ele para mim, eu para ele
Na vida, ele me disse
Jurou pela vida

E desde que eu o percebo
Então sinto em mim
Meu coração que bate

Non, Je Ne Regrette Rien

Michel Vaucaire / Charles Dumont

Non! Rien de rien,
Non! Je ne regrette rien.
Ni le bien, qu’on m’a fait,
Ni le mal, tout ça m’est bien égal!

Non! Rien de rien,
Non! Je ne regrette rien.
C’est payé, balayé, oublié,
Je me fous du passé.

Avec me souvenirs,
J’ai allumé le feu,
Mes chagrins, mes plaisirs,
Je n’ai plus besoin d’eux.

Balayés les amours,
Avec leurs trémolos,
Balayés pour toujours,
Je repars à zéro.

Non! Rien de rien,
Non! Je ne regrette rien.
Ni le bien, qu’on m’a fait,
Ni le mal, tout ça m’est bien égal!

Non! Rien de rien,
Non! Je ne regrette rien.
Car ma vie, car mes joies,
Aujourd’hui, ça commence avec toi!

Tradução

Não! Nada de nada…
Não! Eu não lamento nada…
Nem o bem que me fizeram
Nem o mal – isso tudo me é igual!

Não, nada de nada…
Não! Eu não lamento nada…
Está pago, varrido, esquecido
Não me importa o passado! (2)

Com minhas lembranças
Acendi o fogo (3)
Minhas mágoas, meus prazeres
Não preciso mais deles!

Varridos os amores
E todos os seus “tremolos” (4)
Varridos para sempre
Recomeço do zero.

Não! Nada de nada…
Não! Não lamento nada…!
Nem o bem que me fizeram
Nem o mal, isso tudo me é bem igual!

Não! Nada de nada…
Não! Não lamento nada…
Pois, minha vida, pois, minhas alegrias
Hoje, começam com você!

Confira o trailer abaixo.

bom filme!

roberta vieira

la vie en rose

http://www.edithpiafmovie.com/

http://www.tfmdistribution.com/lamome/lamome.htm

http://www.edithpiaf.com/

Mamma Mia! The Movie – 2008 (Mamma Mia! – O Filme)

mamma_mia Mamma Mia é um fenômeno global baseado nas músicas do grupo ABBA (grupo sueco de enorme sucesso nos anos de 1970) – http://www.abbariginal.info/. Mas como isso começou? Simples: é uma peça de teatro que virou filme, então só para vocês entenderem da onde vem essa história. Tudo começou nos anos 80, quando a produtora Judy Craymer trabalhava com Benny Andersson e Björn Ulvaeus como produtora executiva do primeiro projeto deles pós-ABBA, o musical Chess.

Inspirada no aspecto teatral do trabalho dos compositores, Judy teve a idéia de criar um musical com canções já existentes do grupo ABBA, em um original e empolgante formato. Andersson e Ulvaeus ficaram, inicialmente, relutantes, mas em 1995 eles concordaram com o projeto e, dois anos depois, Craymer convidava a teatróloga Catherine Johnson para escrever o espetáculo.

Mais tarde, com uma afetuosa e empolgante história em mãos, a produtora iniciaria as buscas por um diretor, trazendo para o projeto a respeitada diretora de teatro e ópera Phyllida Lloyd. O primeiro espetáculo teatral de MAMMA MIA! – http://www.mamma-mia.com/ estrearia em 6 de abril de 1999, no Prince Edward Theatre, em Londres, se tornando um fenômeno global de entretenimento e atraindo um público de mais de 30 milhões de pessoas.

Inspirado pela mágica da narrativa das canções do grupo ABBA, como “Dancing Queen”; “S.O.S.”; “Money, Money, Money”; “Take a Chance on Me”, “Mamma Mia” e muitas outras canções do ABBA o filme contagia tanto que quando vocês ouvirem no cinema, vão começar a acompanhar com os pés todas as batidas das músicas inesquecíveis do ABBA e quando menos perceberem, vão estar cantando também, e acreditem, até agora não consigo parar de cantar Mamma Mia!

Mas então… Qual é mesmo a história de “Mamma Mia!”? Donna Sheridan, interpretada por Meryl Streep [The Devil Wears Prada (2006) e The Bridges of Madison County (1995)] é mãe solteira de Sophie Sheridan, interpretada por Amanda Seyfried [Alpha Dog (2006) e Mean Girls (2004)], ambas vivem em uma ilhazinha paradisíaca na Grécia. Sophie vai casar-se e após descobrir três nomes no diário de sua mãe, Sam Carmichael é interpretado por Pierce Brosnan [Butterfly on a Wheel (2007) e The Thomas Crown Affair (1999)], Bill Anderson é interpretado por Stellan Skarsgård [The Glass House (2001) e Pirates of the Caribbean: Dead Man’s Chest (2006) como Bootstrap Bill]  e Harry Bright é interpretado por Colin Firth [Nanny McPhee (2005) e Bridget Jones’s Diary (2001)], então o trio é convidado secretamente pela jovem Sophie para ir ao casamento, que credita que um deles seja seu pai.

Bom depois de esclarecer o mistério de Mamma Mia!, eu lhes digo: O filme é fantástico, uma delícia de assistir, é pura energia, original, com uma fotografia do mediterrâneo de dar água na boca e com uma performance musical excelente por parte do elenco. O longa é contagiante, mas vou adverti-los: se não gostam de musicais e de ABBA não vão assistir, nem mesmo por curiosidade ou para fazerem companhia a aqueles que gostam. Eu sou geração ABBA e adorei o filme, pois adoro ABBA, desde pequena que ouço as musicas dessa banda, assistam no cinema é imperdível.

Confira o trailer ao lado.

bom filme!

roberta vieira

http://www.mammamiamovie.com/

http://www.mammamiaofilme.com.br/

mammamia

http://www.amazon.com/Mamma-Mia/dp/B0019FOC5E/ref=sr_1_1?ie=UTF8&s=music&qid=1221688352&sr=1-1 – link do site amazon para você escutar um pedacinho das canções do ABBA interpretadas no filme e abaixo segue a lista das mesmas:

cd mamma mia rv

1. Honey, Honey
Amanda Seyfried

2. Money, Money, Money
Meryl Streep

3. Mamma Mia
Meryl Streep

4. Dancing Queen
Meryl Streep

5. Our Last Summer
Colin Firth

6. Lay All Your Love On Me
Dominic Cooper

7. Super Trouper
Meryl Streep

8. Gimme! Gimme! Gimme! (A man after midnight)
Amanda Seyfried

9. The Name Of The Game
Amanda Seyfried

10. Voulez-Vous
Cast Of Mamma Mia The Movie

11. SOS
Pierce Brosnan

12. Does Your Mother Know
Christine Baranski

13. Slipping Through My Fingers
Meryl Streep

14. The Winner Takes It All
Meryl Streep

15. When All Is Said And Done
Pierce Brosnan

16. Take A Chance On Me
Julie Walters

17. I Have A Dream
Amanda Seyfried

18. Thank You For The Music
Amanda Seyfried