Archive

Posts Tagged ‘Remake’

The Women – 2008 (Mulheres – O Sexo Forte)

1280x1024_poster Tendo estreado no dia 26 de Setembro de 2008, “The Women” ou “Mulheres – Sexo Forte” é excelente, é um filme feito só por mulheres, para todas as mulheres, de todas as raças, credos e gostos.

Ambientado no circuito da moda e publicidade da cidade de Nova York, o filme conta a história de Mary Haines, interpretada por Meg Ryan [My Mom’s New Boyfriend (2008), City of Angels (1998) e Serious Moonlight (2009)], uma designer de moda que trabalha para seu pai e  tem uma adorável filha de 11 anos, um casamento sólido e um alto padrão de vida.

Mery tem três grandes amigas, Sylvie Fowler, interpretada por Annette Bening [Being Julia (2004), The American President (1995) e American Beauty (1999)], tem uma vida invejável, ela comanda uma revista de moda e é solteira, Edie Cohen, interpretada por Debra Messing [Nothing Like the Holidays (2008), “The Starter Wife” como Molly Kagan e “Will & Grace” como Grace Adler], mãe de duas meninas e com um alto padrão de vida e Alex Fisher, interpretada por Jada Pinkett Smith [The Matrix Revolutions (2003), Tales from the Crypt: Demon Knight (1995) e Madagascar: Escape 2 Africa (2008) (voz)], uma escritora solteira e lésbica.

the women_shop

Mas Mary ainda terá uma surpresa, quando Sylvie descobrir através de sua manicure, Tanya, interpretada por Debi Mazar [Goodfellas (1990) e “Entourage” como Shauna],  a existência de uma vendedora de perfumes, chamada Crystal Allen, interpretada por Eva Mendes [Ghost Rider (2007)], da chiquérrima loja Saks, que vai abalar a relação das quatro amigas e de sua família.

1280x1024_eva

Ainda no elenco de peso do longa metragem, temos Candice Bergen [Bride Wars (2009), Miss Congeniality (2000) e Sweet Home Alabama (2002)], que vive Catherine Frazier a mãe de Mary, Bette Midler [The Stepford Wives (2004), The First Wives Club (1996) e The Rose (1979)], que vive Leah Miller, uma mulher que Mery conhece em um SPA para mulheres divorciadas e com depressão e Carrie Fisher [Star Wars (1977) como Princess Leia Organa], que vive uma escritora do New York Times.

the women_all

O longa é muito legal e extremamente mulher, quero dizer que a diretora do filme, Diane English [“Murphy Brown”], conseguiu colocar inúmeros fatores que caracterizam uma das criaturas mais complicadas do planeta, a mulher. O filme tem um humor sutil que deixa mais leve o enredo, que por sua vez é muito bem bolado.

1280x1024_women

thw women 1939 crystal

No entanto, esse filme é um remake de “The Women” de 1939. Norma Shearer fazia o papel de Mary e Joan Crawford interpretou a  vendedora de women-1939 2008perfumes Crystal Allen e  Sylvie foi interpretada por Rosalind Russell. The Women de 1939 é um longa metragem clássico e considerado uns dos melhores filmes de todos os tempos, foi dirigido pelo aclamado diretor George Cukor, que dirigiu também o famoso longa metragem My Fair Lady (1964) que fora indicado a 12 Oscars e ganhara 8 deles. Por tanto assistam a ambos os filmes. é uma boa pedida.

Não posso dizer se “The Women” 2008 é melhor que o de 1939, pois não assisti ao original, mas vou procurar assistir e em breve estarei postando uma crítica sobre “The Women” 1939.

Vale comentar a cena em que as quatro amigas começam a discutir ao lado do carro de uma delas, todas falam ao mesmo tempo, e quando acabam ela entram no carro sem precisarem esclarecer o que cada uma falou para outra. Exatamente como nós mulheres fazemos na vida real!

women 2008

the women 1939 3 friends

Confira o trailer ao lado.

bom filme!

roberta vieira

http://thewomenthemovie.com/index.html

-

Death Race – 2008 (Corrida Mortal)

death_race_02 Com estréia prevista para o dia 24 de Outubro de 2008, o longa metragem Death Race, “Corrida Mortal” estará nas telonas de todo território nacional para decepcionar os fãs.

O filme já teve sua estréia no dia 22 de Agosto de 2008 nos USA e Tailândia. Tem um elenco considerável, mas mesmo assim é um longa de tremendo mal gosto. Com certeza absoluta, quem for assistir vai se retirar do cinema, nos primeiros 19 minutos do filme. Por que não nos primeiros 20 minutos, porque haverá fila das pessoas que estão saindo das salas em que este filme, “Death Race” e o longa “Be Kind Rewind” estiverem sendo projetados.

DEATH race 2000

Para começar esse longa metragem é uma refilmagem do cult Death Race 2000, de 1975, estrelado por David Carradine [Kill Bill: Vol. 1 (2003) e Kill Bill: Vol. 2 (2004)]. Neste remake, Jason Statham [The Bank Job (2008), Cellular (2004) e War (2007)] vive Jensen Ames, um homem brusco, que tem uma renda mensal que mal dá para sua família comer. Um belo dia sua casa é invadida por homens mascarados e sua mulher acaba morta, mas por uma obra do destino ele é preso e acusado de matá-la e violentar sua filha pequenina.

death race 2008 01

death race joan allen 2008

Hennessey, interpretada por Joan Allen [The Bourne Ultimatum (2007), Bonneville (2006) e Pleasantville (1998)] é diretora de uma prisão de segurança máxima e a cabeça por de traz de um negócio milionário, ela obriga seus prisioneiros a competir no esporte mais sangrento e mais popular do mundo pós-industrial: é uma corrida de carros em que prisioneiros devem brutalizar e matar uns aos outros para alcançarem a vitória e ganharem liberdade.

tatoo death race 2008

Extras: Presente no festival Comic-Con, o produtor e cineasta Roger Corman (“O Corvo”), responsável por produzir “Death Race 2000”, de 1975, elogiou o longa baseado em seu projeto original. Corman disse que o novo “Death Race” é melhor do que o filme que ele produziu há mais de três décadas. Paul W.S. Anderson [Resident Evil: Extinction (2007), AVP: Alien vs. Predator (2004) e DOA: Dead or Alive (2006)], diretor da nova versão do filme, comentou o roteiro. “A trama que contamos no filme acontece antes dos eventos mostrados no outro filme”, explica. A idéia de Anderson é mostrar a história do surgimento do esporte automobilístico mortífero e violento, contando como tal atividade passou de crime à esporte legalizado.

O diretor adiantou que existe a possibilidade de se produzir uma continuação para o longa. No elenco ainda estão os atores Ian McShane [The Seeker: The Dark Is Rising (2007) e Scoop (2006)], Jacob Vargas [The Hills Have Eyes II (2007) e Bobby (2006)], e Natalie Martinez [“Saints & Sinners” como Pilar Martin].

Bom eu, particularmente vou rezar para que não haja uma continuação. O filme inteiro é ridículo, até mesmo a corrida é mal feita, a história é absurda e em fim tirando Joan Allen, o resto do elenco só mata e dirige carros ou logicamente morrem. Não tem suspense, você já sabe o que vai acontecer e tudo isso junto resultou em um longa metragem de terceira linha, deveria ter sido lançado direto em DVD.

Confira o trailer ao lado.

bom filme! boa sorte!

roberta vieira

http://www.deathracemovie.net/

death race 2008 02

Funny Games – 2007 (Violência Gratuita)

funny_games Em cartaz nos cinemas, Funny Games foi lançado em 2007 na Inglaterra e chega ao Brasil apenas em 2008.

Mas aviso que ao lerem a sinopse, vocês vão ter a nítida sensação de que trata-se de mais um longa estúpido sobre torturas e violência, mas acreditem, não é mesmo. É sim um filme extremamente violento, porém, uma violência mais psicológica do que física. Haneke criou um filme violento, que critica a violência, e isso é simplesmente genial.

“Funny Games” é um Remake do filme austríaco, de mesmo nome [Funny Games (1997)], de 1997, lançado no Brasil como Violência Gratuita, pela Cult Filmes, também dirigido pelo mesmo diretor de 97, o Michael Haneke.

É um remake cena-por-cena do original, conforme você pode comparar através dos imagens abaixo, e no trailer ao lado, em cada página do filme. É o primeiro filme do diretor Michael Haneke, que conseguiu um certo sucesso mundial, e lhe deu sua primeira de 4 indicações para o Palma de Ouro no Festival de Cannes. Talvez também sua obra mais famosa e com certeza, a sua mais mal compreendida.

funny-games_1

imagem abaixo – Funny Games 1997

funnygames_rv saco cabeça

imagem abaixo – Funny Games U.S. (2007)

funnygames 2008

O drama envolve uma dona de casa de classe média Anna, interpretada por Naomi Watts [King Kong (2005), Divorce, Le (2003) e The Ring (2002)] seu marido George, interpretado por Tim Roth [Silver City (2004) e Pulp Fiction (1994)] e seu filho de 10 anos de idade Georgie, interpretado por Devon Gearhart [Changeling (2008) e “Weeds” como Billy – Kid].

A família vai passar um fim de semana de feriado em uma casa de veraneio isolada, a beira de um lago. Ao chegarem dois garotos de aparência muita esquisita aparecem na casa do casal sem serem convidados. Os jovens psicopatas Peter, interpretado por Brady Corbet [Thunderbirds (2004) e Full-Dress (2007)] e Paul, interpretado por Michael Pitt [Delirious (2006) e Silk (2007/I)] os fazem de reféns, e começam a usar a família em uma espécie de jogo sádico, violento e doentio.

O filme é mesmo doentio, você chega a imaginar se alguma vez na vida já nos deparamos com jovens com esse perfil, que entram em nossas vidas e se compartam de uma maneira esquisita de dar medo, em fim, eu já vi gente assim, mas não tão psicopatas, de qualquer forma o longa é excelente, eu não assisti ao original de 1997, mas pelas minhas pesquisas ambos são idênticos.

Tem uma passagem no filme, a do controle remoto, que na minha opinião quase estraga o filme por completo, tira toda aquela tensão, fazendo do filme uma bobagem sem tamanho. Mesmo assim assistam, tirando essa cena sem pé nem cabeça, o filme é sensacional. É daqueles filmes que acontece tudo que você menos espera. Um conselho, não deixem estranhos entrarem em suas casas, mesmo que os mesmos se dizem amigos do vizinho…

Confira os dois trailers ao lado (2007 e 1997).

bom filme!

roberta vieira

http://wip.warnerbros.com/funnygames/

funny_games_ver4

Acessem o site, dá para ver um pouco do filme no site, é muito legal. A voz do cara, da vontade socar a cara dele e só para registrar, eu não teria mesmo deixado esses caras entrarem na minha casa, eu teria sacado a maldade na hora!